terça-feira, 7 de outubro de 2014

ama-me assim, sem fim

ô, amor,
faz isso não,
assim 'cê machuca o meu coração.

sorria, moço,
olhe para mim e me ame,
como me amou da primeira, segunda e terceira vez.

mas rapaz, faz assim não,
não olha torto e fica quieto,
pois sua voz é um canto pra mim.

amor, deixa a barba,
tira ela não,
gosto dela em ti.

moço, não seja assim,
ama-me sem fim,
seja meu.

tire tudo que há de ruim em nós,
tire o rancor e a mágoa,
tire minha roupa, se quiser... 

mas olha só
o que cê me faz fazer,
até poema sem rima escrevi pro'cê. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário